Rússia pondera permitir as criptomoedas para pagamentos internacionais

You are currently viewing Rússia pondera permitir as criptomoedas para pagamentos internacionais
Partilhar

A guerra na Ucrânia tem criado inúmeras consequências em praticamente todos os países do mundo, mas com um significativo impacto na Europa.

Mas a invasora Rússia é uma das mais prejudicadas, nomeadamente ao nível económico e financeiro, devido à quantidade massiva de sanções que tem sofrido. Desta forma, o país de Vladimir Putin está a ponderar permitir o uso das criptomoedas como meio para pagamentos internacionais.

Rússia pode permitir criptomoedas em pagamentos internacionais

De acordo com a notícia avançada pela agência Interfax, e revelada pela Reuters, a Rússia está a considerar permitir o uso das criptomoedas nos pagamentos internacionais. A agência informou sobre esta possibilidade nesta sexta-feira (27) e citou mesmo uma autoridade do governo russo.

Segundo as informações, Ivan Chebeskov, chefe do departamento de política financeira do Ministério das Finanças da Rússia, disse que “a ideia de usar moedas digitais para as transações de acordos internacionais está a ser ativamente discutida”.

Se antes da guerra o banco central da Rússia estava reticente em relação às criptomoedas, depois do conflito a opinião da entidade parece estar a mudar. Tanto que, recentemente, o ministro da Indústria e Comércio russo, Denis Manturov, disse que o país iria legalizar as moedas digitais como meio de pagamento “mais cedo ou mais tarde”.

Nesse sentido, há vários meses que decorrem as conversações entre o governo e o banco central, mas ainda não há um real consenso.

Entretanto, o Ministério das Finanças está a discutir a integração da última proposta sobre os pagamentos internacionais numa versão atualizada de um projeto-lei, segundo o jornal Vedomosti, nesta sexta-feira, citando fontes do governo.

Na opinião de Ivan Chebeskov, permitir as criptomoedas como meio de liquidação no âmbito do comércio internacional, iria ajudar a combater o impacto das sanções aplicadas à Rússia, uma vez que o país tem atualmente um acesso limitado aos sistemas de pagamento tradicionais e transfronteiriços.

Deixe uma resposta